back to top
Terça-feira, Junho 25, 2024

Novidades

Notícias Relacionadas

Tergiversações de um líder vendido por uma televisão perto de si

Case study. Very british.
Ele era um menino prodígio.
Os outros meninos brincavam com bolas e pistolas de plástico, e o Paulinho já só se interessava por in-fólios.
Adolescente, já perorava sobre politica, na sala da mamã, toda babada, com as tias à volta, a bater palminhas…
“Este menino vai longe”, diziam…
No colégio de São João de Brito, dos jesuítas e na católica, nunca se destacou como aluno…
Mas publicava umas croniquetas no “Tempo”, do patusco Nuno Rocha…
Escrevia: “o Cavaco merecia um estalo”
E o rapazinho Paulinho, era capaz de lho dar…
Uma fera.
Aos 15 aninhos, inscreveu-se na JSD. Não lhe deram cavaco.  Demitiu-se…
O talentoso Miguel Esteves Cardoso, bem financiado, fundou o jornal Independente, para se divertir e dar, como deu, azo à sua imaginação após inalar pó branco(foi ele que o confessou).
O Paulinho era só drunfos.
A fonte é ainda o insuspeito MEC.
Foi buscar o Paulinho, que disse do Cavaco e dos seus ministros, o que Maomé não disse do toucinho…
Com verdades, meias verdades e algumas mentiras o Paulinho ganhou a ribalta. Deu nas vistas. Fez-se gente.
O único que o enganou foi o Marcelo.
Lembram-se do célebre episódio da vichychoise e do que o Paulinho disse do Marcelo, em direto, no programa do Herman?
(Deus deu-lhe a inteligência e o diabo a alma) recordam-se?
Na universidade Moderna, fez um centro de sondagens (com o Santana Lopes)
só trapalhadas e aldrabices.
Exigiu um jaguar, porque era very british.
Estampava-se e fugia.
O Manuel Monteiro resolveu disputar o moribundo CDS. Ganhou ao Basílio Horta.
Foi buscar o Paulinho ao Independente. Pô-lo como número 2.
O menino prodígio chegou a líder político.
Não tardou a morder a mão que o criara. A criatura devorou o criador.
Oiçam o que o Monteiro, disse nas TVs sobre o menino prodígio,
“que metera o rabinho entre as pernas”.
Alcandorou-se a líder, num coio de famintos de poder, boys à procura de jobs e de lobysmo.
Não sem antes ser apertado e vexado, pela saudosa Maria José Nogueira Pinto, a quem um deputado do menino prodígio deu um encontrão no congresso de Óbidos.
Obteve uns escassos 8%.
Foi ministro.
Da Defesa, (as anedotas circulavam) dos Negócios Estrangeiros.
Vice Primeiro Ministro.
Os rumores de corrupção acompanham-no há anos.
Ora emergem ora submergem.
Como os Submarinos.
A Embaixadora Ana Gomes nunca lhe deu tréguas. Nem com os submersíveis, nem com os sempre murmurados episódios da Caterine Devenue…
Mas ele é peixe de águas profundas.
“Jácintoleitepelorego#, era o nome de código dos depósitos em numerário.
Foi um dos episódios mais risíveis.
Diz quem sabe que o nome era apropriado.
O menino prodígio é irrevogável.
A palavra que dá, vale o mesmo que as promessas que faz.
Cada vez que deixa de ser ministro, sai de chefe do CDS.
Assim que lhe cheirar a possibilidade de voltar ao poder, o menino volta ao Caldas. E às feiras.
Fê-lo com o Ribeiro e Castro.
Não o fez com a Cristas, porque o seu inegável faro, não farejou poder…
Só o Nuno Melo percebeu.
Há pouco, mexeu os cordelinhos na penumbra, manobrando as suas marionetas, como adora, mas o rapaz Chicão, do Zacatraz, estragou-lhe os planos…
Amuou.
Serpenteia bem no mundo dos holofotes, dos mercedes negros e reluzentes, dos body guards, do palácio das Laranjeiras, das misteriosas e frequentes viagens que fazia ao estrangeiro, pagas pelo erário publico, sem se perceber ao que ia…
Do governo saiu para a administração e consultoria das grandes empresas de negócios.
Está como peixinho na água, sempre à tona, à babugem…
Fora dessas mordomias e privilégios a política é desinteressante.
Só lhe interessa o espectáculo.
A TVI, comprada pelo barqueiro do douro, catapultou-o para nova visibilidade. Debita banalidades e aldrabices de feira, como se tivesse descoberto a vacina.
Está obcecado por Belém.
Daqui a 5 anos.
Vichyssoise?
É um narcisista fixado no seu umbigo. Tudo aquilo é teatralidade.
Puericultura disfarçada de emoção.
Merece um estudo.
Sim, o menino prodígio é um case study.
Só dá alegrias à mamã. Que lhe escolhe as camisas, as gravatas e os lencinhos, segundo confessou.
Emergirá? Emerge!
Varela de Matos, advogado

Popular Articles